Buscar

Terça 14 Novembro 2017

Noticias Urgentes

04/07/2014 11:22

Chadia Kobeissi

O maior inimigo

Estou cansada de ver meus irmãos muçulmanos e árabes sempre apontando o dedo, contra a mídia, contra a América, contra os outros. Sim, eles tem um lado muito ruim, manipulador, opressor, no entanto, nós devemos, antes de qualquer coisa, ver os erros dentro de nossa comunidade.

Eu sempre dizia, que a culpa é de alguém ou de algum grupo, claro que o culpado nunca estava relacionado com a minha comunidade ou comigo. Mas um dia eu percebi, a verdade é mais poderosa que tudo e aprendi a enxergar erros dentro de minha comunidade, de meu mundo, em mim mesma.

Alguns dias atrás a Globo apresentou uma reportagem, contando casos de mulheres que sofreram algum tipo de abuso no Oriente Médio, também mostrou que em vários países dessa região, as leis não estão defendendo os direitos das mulheres.

O grande problema é que para leigos no assunto, muitos podem confundir religião e cultura, pois apesar da reportagem mostrar detalhes, foi algo muito superficial e até tendencioso (relacionando o atraso a imagem de mulheres com o véu, como se isso apenas acontecesse em comunidades islâmicas).

Muito pelo contrário, quando eu morava no Líbano, conversei com muitas pessoas que trabalham na polícia e, através de fontes seguras, recebi a informação de que no Líbano as mulheres cristãs, casadas com cristãos, sofrem mais com a violência doméstica do que as mulheres muçulmanas, em razão do alcoolismo. E o Líbano, nem país islâmico é.

Mas é óbvio que agressão todas as religiões condenam. O que quero dizer é que a reportagem da Globo foi verdadeira, mas fraca e incompleta, em relação a realidade do Oriente Médio.

Sim, os árabes tem uma cultura patriarcal e muitas vezes machista, mas isso foi muito criticado e mudado com a vinda do Islam, que deu muitos direitos às mulheres, muito antes das mulheres do Ocidente, sobre isso posso fornecer muitos detalhes. No entanto em alguns países árabes, eles não estão seguindo a Bíblia ou o Alcorão, mas sim as suas ideias ignorantes e opressoras, algo que não existe em religião alguma.

E por essa razão, penso que o nosso primeiro inimigo não é a mídia brasileira, ou a Globo, por ter apresentado uma matéria real, porém superficial e tendenciosa, o nosso primeiro inimigo são a minoria que fazem atos absurdos afirmando que isso está correto em nome da religião.

Temos um compromisso com a verdade, realmente existe isso em países árabes, as mulheres que são agredidas não são defendidas pela constituição e não há leis defendendo seus direitos. Há mulheres sofrendo no mundo todo com maridos cristãos e muçulmanos, sob uma constituição criminosa que nada tem haver com as religiões.

Por isso nós muçulmanos, árabes e todos, devemos lutar contra esses homens que oprimem as mulheres, sejam eles cristãos, muçulmanos ou qualquer um.

E está na hora dos muçulmanos apoiarem essas mulheres de todo o mundo, nos países árabes, no Oriente e Ocidente, onde mulheres sofrem abuso, inclusive no Brasil. Está na hora, de nos levantarmos contra governantes opressores, que mentindo, afirmam estar agindo em nome do

Islam, que interpretando de forma totalmente equivocada, estão destruindo a reputação de nossa religião e nosso povo.

Mas por mais que os governantes causem uma má reputação e a Globo sempre passando apenas um lado dos fatos, quem quer a verdade sempre encontrará e saberá diferenciar, saindo da alienação.

Nós muçulmanos somos contra extremistas, terroristas e opressores e eles são nossos inimigos, sejam eles de qualquer região ou religião.

Vamos apoiar essas mulheres que estão sofrendo com falta de leis e direitos, mulheres que não estão sob as leis islâmicas, pois o Islam protege a mulher, porém os países árabes não agem de acordo com essas leis, eles inventaram uma ditadura patriarcal, que na verdade é anti-islâmica.

Infelizmente esses governantes de países islâmicos NADA seguem do Islam, pois se seguissem, todas as mulheres estariam satisfeitas, pois não há uma religião no mundo, que deu tantos direitos para as mulheres como o Islam.

Contudo a questão maior não é melhorar nossa imagem, e sim realmente sentir por essas pessoas oprimidas, lutar pelo direito delas, contra líderes que oprimem o ser humano usando o nome de Deus, difamando lições dos santos, para seu próprio interesse.

Quando enxergarmos a realidade, veremos que nosso inimigo maior está em nós e do nosso lado. Quando enfrentarmos nosso mal, será fácil enfrentar o mal que há em outro, pois ele por si só irá se desfazer.

Certamente nossa reputação será melhor, quando nossa realidade for melhor, e nesse dia ficará muito mais complicado para qualquer mídia difamar e distorcer. Sim, a Globo e todas as emissoras sempre passam informações que geram certa ignorância e conflito, pois informação real, mas parcial, não explica absolutamente nada. E aí o povo fica achando isso e aquilo e, o pior de tudo, pensa que entendeu.

Comentários

Comentar

{ Últimas Colunas

©2010-2011 - A Fronteira - Todos os direitos reservados.