Buscar

Quinta 02 Novembro 2017

Noticias Urgentes

21/07/2013 00:00

Sadi Buzanelo

Cristo Jesus o único Sumo Sacerdote

“... E a mulher estava vestida de púrpura e de vermelho, e adornada com ouro, e pedras preciosas e pérolas; e tinha na sua mão um cálice de ouro cheio de abominações e da imundícia da sua prostituição...” (Apocalipse 17:4)

O mundo vive momentos de uma esperança religiosa focada na pessoa do Papa Francisco. O Brasil vê sua fé renovada, através de uma agenda do Vaticano. Sua Santidade está no Brasil. Milhares de católicos, de centenas de países estão entre nós, inclusive em Foz do Iguaçu, onde pelas ruas nota-se centenas de jovens, rumo ao Rio, onde acontece a 38ª Jornada Mundial da Juventude (JMJ), marcando a primeira visita do Papa Francisco ao Brasil desde que assumiu o pontificado, em março de 2013. Durante o evento, que ocorre de 23 e 28 de julho, onde são esperados mais de 2,5 milhões de jovens católicos, no RJ e SP. Sem dúvida é um grande evento, talvez um dos maiores do mundo, movendo a fé das pessoas.

Neste sentido a JORNADA tem suas finalidades próprias, seus símbolos (não bíblicos), seus desafios voltados às questões sociais, a busca do novo discurso do Vaticano, a demonstração da humildade prática de seu líder, entre outros interesses de expansão desta grande religião.  Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz a ‘igreja’!

Poderia ter outros motivos, mais profundos, como o despertar dos mandamentos de Cristo Jesus, o único SUMO SACERDOTE, ordenanças que são válidas para todos os que se dizem ‘cristãos’, mas na pratica efetivado apenas por alguns de seus ‘verdadeiros discípulos’. No passado o Apostolo Paulo foi um deles.  De Saulo, o religioso, para Paulo, o apostolo, o Espírito Santo, o fez compreender os mistérios do Reino de Deus. Sempre é oportuno rever as suas Cartas, no Novo Testamento.  São orientadoras e mostram onde deve ser firmada a nossa fé aqui e a esperança no futuro.  Em Hebreus 2, o Apostolo faz uma referencia oportuna para estes tempos: “Portanto, convém nos atentar com mais diligencia para as coisas, que já temos ouvido, para que em tempo algum nos desviemos delas”. (Hb 2:1)

Num tempo de crises econômicas, sociais e políticas por diversos continentes, do Egito ao Brasil, em dias de denúncias e brigas até entre os cléricos, nunca é demais olhar para os escritos de Paulo. Todos acompanham pela mídia (especialmente as redes de Tv) a visita do Papa Francisco ao Brasil. A mobilização é nacional, desde a infra-estrutura para recebê-lo, sistema de segurança, até a presença de milhares de jovens e seguidores do catolicismo romano.  E disse o Apostolo Paulo: “Por isso, irmãos santos, participantes da vocação celestial, considerais a Jesus Cristo, Apostolo e Sumo sacerdote da vossa confissão. Sendo fiel ao que o constituiu, como também o foi Moises em toda a sua casa...” (Hb 3:1-2)

Sem entrar no mérito de questões doutrinárias e de cunho ideológico do catolicismo, que estão por detrás desta visita. Apenas para que a Nação brasileira não peque e nem ultrapasse o limite do respeito e consideração, para a adoração e a idolatria, o mesmo Paulo, nos alerta em sua Carta aos Hebreus, quando afirma: “Porque todo sumo sacerdote, tomado dentre os homens, é constituído a favor dos homens nas coisas concernentes a Deus, para que ofereça dons e sacrifícios pelos pecados. E possa compadecer-se ternamente dos ignorantes e errados; pois também ele mesmo está rodeado de fraqueza” (Hb 5:1-3).

O Apostolo Paulo enfatiza ainda, quem é o intercessor e onde está: “... Onde Jesus, nosso precursor, entrou por nós, feito eternamente Sumo Sacerdote, segundo a Ordem de Melquisedeque” (Hb 6:20).

Assim é que cremos, apenas num Deus Vivo e Verdadeiro, que não se dobra a doutrina de homens e ideologia de nações. Um único SENHOR, cujo todo joelho se dobrará, inclusive o Papa Francisco, para quem devemos- todos nós- consideração e respeito, pela sua fala e postura. Visto que temos um grande Sumo Sacerdote, JESUS, Filho de Deus, que penetrou nos céus, retenhamos firmemente a nossa confissão de fé e crença. O resto é apenas religião. Portanto, como diz o Espírito Santo: se ouvirdes hoje a sua voz, não endureçais os vossos corações, como na provação, no dia da tentação no deserto com os nossos pais na fé.

“... Digno és, Senhor, de receber glória, e honra, e poder; porque tu criastes todas as coisas, e por tua vontade são e foram cridas...” (Ap 4:11). Ao único que é de fato Digno de receber o louvor e a adoração sejam dados toda glória, poder e santidade, aos demais mortais, apenas respeito e admiração, inclusive ao senhor Jorge Mario Bergoglio, um nobre argentino desta geração de crentes.         

“No principio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus; e o Verbo era Deus... Todas as coisas foram feitas por ele e sem ele nada do que foi feito se fez. Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens...” (João 1:1-4)            

•          Sadi Buzanelo é teólogo e jornalista, atual Presidente do COPEFI.      

•          E-mail: liderancafoz@gmail.com                                                                                               

Comentários

Comentar

{ Últimas Participações

©2010-2011 - A Fronteira - Todos os direitos reservados.